quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Revivendo sambas antológicos 25 - Nelson Mandela

 O samba que trago hoje pode não ser antigo e antológico como os outros, mas sem dúvida foi um dos mais belos da agremiação e do ano em questão. Trata-se de "Preto e branco à cores" da Unidos do Porto da Pedra em 2007.
 O tigre de São Gonçalo levou para o sambódromo um enredo sobre a África do sul e em um de seus setores foi homenageado o maior herói desta nação e um dos herois do mundo: Nelson Mandela, que hoje deixa o mundo dos vivos para se encontrar com seus antepassados. Lutou contra sua realidade, buscou igualdade, não desistiu e tendo cumprido sua missão tornou-se símbolo da luta da igualdade.
Reviva comigo este maravilhoso samba, que é minha homenagem à este grande homem que hoje nos deixou:

Destino a minha vida
Minha luta pela liberdade
A nove filhas de um só coração
Ao Sul do berço da humanidade
O Anjo Invasor me deu a cor, mas cor não tenho
Eu tenho raça e a cada farsa, a cada horror
O meu empenho, meu braço, meu valor
Se ergueu contra o monstro da cobiça
Caveirão da injustiça, filho da segregação
Liberto permanece o pensamento
Ele foi meu alento
Quando o corpo foi prisão

O nosso herói Mandela é
Senhor da fé, clamou o povo (bis)
E o Tigre encontra no Leão
A maior inspiração de um mundo novo

Do gueto, um palco de glória
Corre em meu sangue a história
Num mundo misturado
Matizado com as cores deste chão
Um canto a ser louvado
Ser humano ante a fome e a privação
Museu da Favela Vermelha
Minha alma se espelha na face do irmão
É hoje, vou cantar
Minha gente é o lugar que eu sempre quis
Na Avenida, meu irmão vou abraçar
Viver a igualdade e ser feliz

Liberdade, pelo amor de Deus
Liberdade a este céu azul (bis)
É minha terra, orgulho meu
Porto da Pedra canta a África do Sul